segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A BANDEIRA "BORDADA" PELA MÃO DA RAINHA DONA MARIA II
Segundo Jácome de Bruges Bettencourt, em 1986, pouco tempo após a posse de Joaquim Carlos Vasconcelos da Ponte na presidência do Município Angrense, a bandeira "bordada" pela mão de D. Maria II e ofertada a Angra, já referida aqui, seguiu para o Instituto de Arte Antiga (Janelas Verdes), à Rocha do Conde de Óbidos onde foi restaurada. Por volta de 1991, o Presidente Joaquim Ponte, encarrega Jácome de Bruges Bettencourt, após a consolidação desta histórica peça do património terceirense, a trazê-la para Angra. Foi decidido proceder à construção dum móvel, encarregando-se um arquitecto da Câmara do respectivo projecto. A vitrina a idealizar teria que girar de forma a mostrar as duas faces da bandeira, a representativa da Bandeira Nacional do regime advindo do liberalismo e a que mostra as armas do município usadas nessa altura. Porém, tal não se concretizou, esperando Jácome de Bruges Bettencourt (aqui) que, agora, esse propósito avance.
A foto que hoje publicamos foi gentilmente cedida pela Dr.ª Lara Braga, técnica de turismo da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo.
Publicado por: Bagos d' Uva

3 comentários:

Anónimo disse...

Ainda ontem, no concerto do universário da diocese de Angra, D. Duarte devia estar presente.

Vamos trabalhar para D. Duarte estar este ano connosco, presente nas Sanjoaninas.

Maria Menezes disse...

Embora não goste muito de responder a anónimos, a agenda de Sua Alteza Real, O Senhor Dom Duarte é muito preenchida e não pode estar em todo o lado.
De facto, era interessante poder estar presente para o ano nas festas Sanjoaninas.

Rogério "Loreira" disse...

Belíssima bandeira bordada por uma grande senhora, uma grande Raínha que morreu ao serviço do seu país! Uma Raínha que passou inúmeras dificuldades durante o seu reinado, mas que as conseguiu ultrapassar com um grande sentido de Estado...uma Raínha que gerou dez ou onze filhos, não tenho a certeza, que morreu ao dar à luz o seu último filho...uma enorme tristeza assolou a sua família...depois da sua morte, alguns dos seus filhos morreram vitimados por doença...o seu primogénito, El Rei D. Pedro V, também vitimado por uma doença morreu muito jovem, com apenas 24 anos, tinha muito pra dar ao seu amado país...um jovem Rei preocupado com o seu país!!!Mandou colocar à porta do Palácio das Necessidades, residência da Família Real na época, uma caixa verde para os seus súbditos aí colocarem as sua necessidades, as sua preocupações, etc...um jovem Rei que viu morrer a sua jovem esposa, a Raínha D. Estefânia, també ela vitimada por doença, os seu irmãos! Um curto mas doloroso reinado! Penso que se este nosso Rei não tivesse falecido tão jovem, Portugal ainda hoje seria uma Monarquia!
Abraço