domingo, 15 de novembro de 2009

15 DE NOVEMBRO DE 1889: 120 ANOS DO NASCIMENTO DE EL-REI DOM MANUEL II
Dom Manuel II nasceu em tempo de luto e tristeza. Um mês antes do Seu nascimente, morre El-Rei Dom Luís I, Seu avô. Na véspera do seu nascimento, dia 14 de Novembro, ocorrera no Chiado um terrível incêndio fazendo três dezenas de feridos e destruiu o afamado Bazar Suíço, a residência do Marquês de Nisa e o Turf-Club. À noite, a Rainha Dona Maria Pia, viúva aos 42 anos, coberta de luto pesado, acorre ao quarto da nora, solidária na preocupação e na esperança. Um pouco depois das 6 horas da manhã de 15 de Novembro de 1889, nasce o terceiro filho de Dom Carlos e Dona Amélia. Dona Maria Pia, Avó e Madrinha, dá-lhe o primeiro nome: Manuel. Nasceu no Palácio de Belém em Lisboa, um mês depois da subida de Seu Pai ao trono de Portugal. Baptizado poucos dias depois, no mesmo Paço de Belém, com o nome de Manuel Maria Filipe Carlos Amélio Luís Miguel Rafael Gabriel Gonzaga Xavier Francisco de Assis Eugénio de Bragança Orléans Sabóia e Saxe-Coburgo Gotha. Teve por padrinho, o avô materno, o Conde de Paris. Recebeu à nascença os títulos reais de Infante de Portugal e de Duque de Beja. A cerimónia do Baptismo foi presidida pelo Cardeal-Patriarca D. José Sebastião Neto e foi muito íntima, contando apenas com a família em respeito pelo luto da morte de seu avô Dom Luís.
A 15 de Novembro, no próprio dia do nascimento do Infante Dom Manuel, foi proclamada a república no Brasil. Dom Carlos acudia a um parente a quem a república roubava um trono e em Portugal nascia um novo Infante. Logo no início do ano de 1890, em Fevereiro, o primeiro reinado efectivo de Dom Carlos, abre com luto e morre o Avô da Rainha Dona Amélia, bisavô do Infante Dom Manuel, o Duque de Montpensier.
O Baptizado solene so viria a realizar-se a 18 de Dezembro, no Palácio de Belém, já com a presença do avô materno e do Imperador do Brasil deposto Dom Pedro II. Muito embora ainda o luto se mantivesse, o governo considerou o dia de grande gala, com tolerância de ponto e iluminações. A Madrinha foi a sua avó paterna Dona Maria Pia de Sabóia e o Padrinho, o Infante Dom Afonso Seu Tio, em representação do Avô materno o Conde de Paris, que foi o Padrinho.

Dom Manuel em Setembro de 1899. De entre as centenas de fotos "bem comportadas" independentemente da sua idade ou da situação, o Infante Dom Manuel, encontra-se empoleirado numa varanda. A 21 de Setembro do mesmo ano, a Rainha Dona Amélia decide que é tempo de cortar os longos cabelos do Infante: "coupé cheveux Manuel. Trés changé de figure". (Diário da Rainha).
Livros: Família Real Portuguesa/Amélia, Rainha de Portugal

9 comentários:

Incúria da Loja disse...

Real, Real por El-Rey D. Manuel II, O Patriota. Parábens a si Maria por ter relembrado, a todos nós, esta bonita data. Continuação de um bom fim-de-semana e bem-haja. Viva uma moderna e nova Monarquia para Portugal. Pela "Incúria da Loja", Pedro.

Rogério "Loreira" disse...

Bonita data esta, o nascimento do último Rei de Portugal, D. Manuel II. Um Rei tristemente expulso do seu amado país, um jovem Rei que não estava destinado a reinar, mas que o destino a isso o obrigou, por força do assassinato de seu pai e irmão...triste destino deste nosso Rei...El Rei D. Manuel II, o Patriota...Bem haja onde estiver

Maria Menezes disse...

Já nasceu num tempo em que a república estava de tentáculos afiados...
Mas já se passaram 120 anos do nascimento do nosso último Rei de Portugal, e ainda continuamos nesta república de politiqueiros e futeboleiros e trauliteiros!!!

Dionatan da Silveira Cunha disse...

Prezada Maria,

Data festiva em Portugal, mas um tanto triste aos brasileiros. Hoje os 120 anos da república se faz vivo no Brasil. 120 anos de um governo sem apoio popular e antidemocrático.

Bom, mas a postagem é sobre Dom Manuel II, um homem que muito cedo viu a desgraça de perto e por ela teve de se tornar Rei de Portugal. Foi sem dúvida uma vítima da república portuguesa, assim como seu pai e irmão.

E assim estamos hoje, Portugal e Brasil, nesta nefasta e subversiva república.

Abraço.

Maria Menezes disse...

Pois é Dionatan, estamos no mesmo caminho. Todos órfãos!!!
Abraço

Mário Guinapo disse...

Embora esta data comemore o nascimento do nosso ultimo monarca reinante,não posso deixar de pensar nas palavras da Rainha D.Amélia no seu leito de morte, que entre a agonia e o delirio,conseguia momentos de lucides tendo proferido esta fraze: "porque mataram os meus filhos?"
Repare-se que D.Amélia se referia aos seus filhos,e não só a D.Luis Filipe,morto no Terreiro do Paço,será que a Rainha saberia alguma coisa que nós hoje em dia não sabemos acerca da misteriosa morte d´El Rei D Manuel II?

Maria Menezes disse...

Claro que sabia. Aliás assim que o Rei Dom Manuel II morreu, o Seu corpo entrou logo em decomposição. É um sintoma de envenenamento com asfixia.... e tenho as minhas dúvidas se era realmente Dom Manuel II que vinha dentro daquela urna. Aqui em Portugal não abriram e foi sepultado numa urna estilo inglês? Porquê?

Nuno Castelo-Branco disse...

Fala-se de muita coisa e até de certa maleita que o rei teria contraído com a famosa Gaby Deslys, o que lhe teria provocado problemas de saúde até ao fim dos seus dias. Era o grande flagelo da época e todos sabemos como morreu Lenine, por exemplo.
Não vale a pena especular, porque o que interessa e fica para a História, é a personalidade de D. Manuel, inatacável seja sob que ponto de vista for.
A propósito, Maria, onde estará a estátua em barro que o Teixeira Lopes lhe fez e que estava prevista para a sala de sessões da Câmara Baixa das Cortes? Está em S. Bento ou foi destruída. Era bonita e se existir, convém passá-la a bronze, antes que desapareça.

Maria Menezes disse...

Desconhecia a estátua só o busto em gesso. Pode ser que ainda esteja em S. Bento, mas isso só com uma vistoria lá dentro...
Abraço