segunda-feira, 28 de Julho de 2014

FOTOS DA VISITA À TAILÂNDIA

A cerimónia de Bangkok: missão cumprida

Decididamente, não foi uma dessas visitas de "negócios" e diplomacia de secos & molhados a que se têm dedicado os homens do regime. Foi uma jornada de memória e tributo de agradecimento àqueles tailandeses, bons servidores da monarquia e fiéis súbditos do Rei tailandês, que também são portugueses e guardam no coração e na inteligência o sangue e a fé dos seus antepassados portugueses.

1. Net, o anfitrião, despede-se do Embaixador de Portugal.
2. Os Infantes de Portugal prontos para partir.
3. O último adeus do Net Dias aos ilustres visitantes.
4. O nosso Príncipe despede-se de Samsen.

1. SAR o Senhor Dom Afonso de Bragança e os irmãos Wongngernyuang Dias, Net e New, amigos de primeira fila que foram para mim uma quase família durante a minha estadia de quatro anos em Bangkok.
2. SAR o Senhor Dom Duarte na companhia da senhora Pimlada Wongngernyuang Dias, viúva do Cointra-Almirante Saravut Dias, antigo líder da comunidade.
1. A Família Real Portuguesa é recebida por religiosas e membros da comunidade luso-thai católica no interior da Igreja da Imaculada Conceição.
2. A Família Real Portuguesa com a comunidade dos Portugueses do Sião.
Fonte:  Miguel Castelo-Branco (Facebook)

quarta-feira, 23 de Julho de 2014

COROA REAL



A peça é composta por sete arcos fechados que apresentam frisos de pérolas em vulto, convergindo no topo e alargando para a base, rematados em folhas de acanto e intercalados por pináculos de forma ovular. O aro da base é preenchido por sequência simétrica e relevada de losangos, pérolas e óvulos, limitado nas zonas inferior e superior por rebordo convexo. O crucífero apresenta remate canelado e complementado no topo por cruz latina, visualizando-se nesta uma pequena esfera central de onde derivam quatro braços em forma de túlipa. O interior da peça é uma estrutura semicircular e irregular, que recria um forro de veludo carmesim.

A coroa real é o símbolo da autoridade monárquica. Até ao Rei D. Sebastião, ela consistiu num simples aro de ouro com florões, de formato aberto, e inspirada na coroa de duque oriunda da 1.ª dinastia. Este monarca procedeu à sua substituição por uma coroa fechada, pretendendo assim simbolizar a unidade do Estado e do Povo. Desde D. João IV, que consagrou o Reino de Portugal a Nossa Senhora da Imaculada Conceição - Vila Viçosa, proclamada Rainha de Portugal, os monarcas portugueses deixaram de usar a coroa, sendo a partir daí aclamados. Não chegou aos nossos dias nenhum exemplar de coroa real anterior a D. João VI, e o único que existe, constituído exclusivamente por ouro, foi executado no Brasil, em 1817, tendo sido utilizada posteriormente nas cerimónias de juramento dos monarcas.

Esta peça foi encomendada para a Câmara dos Dignos Pares do Reino, inaugurada em 13 de Janeiro de 1867, tendo aí permanecido a encimar o dossel de suporte do retrato do Rei D. Luís até à implantação da República.


Fonte: Parlamento



terça-feira, 22 de Julho de 2014

S.A.R., DOM DUARTE DE BRAGANÇA, O EMBAIXADOR DO PORTUGAL DE SEMPRE

S.A.R., O EMBAIXADOR DO PORTUGAL DE SEMPRE

Na companhia da Família Real, partiu para o Oriente S.A.R., O Senhor Dom Duarte. A convite da Princesa Sirindhorn, estará alguns dias na capital tailandesa para aí se encontrar com as comunidades de ascendência portuguesa. Está prevista uma cerimónia numa das paróquias católicas de Bangkok e atribuição da medalha da Ordem de Nossa Senhora de Vila Viçosa à igreja da Conceição. Foi com grande prazer que estive hoje com S.A.R., facultando-lhe informações sobre a história daquela comunidade. Foi com espanto que me apercebi da excelente preparação de S.A.R., a respeito da presença portuguesa no Sião, pelo que pouco terei acrescentado à erudição do nosso Príncipe. Uma vez mais, S.A.R., revela-se um excelente diplomata, não daquela diplomacia de mercearia hoje tão praticada, mas de uma diplomacia culta e de prestígio nacional que tanta falta faz nas Necessidades. Boa viagem, Alteza Real. Honrará, como sempre, o nosso nome.
Só lamento não poder servir Sua Alteza.Real, no decurso da visita, pois ando assoberbado com os 500 anos das relações Luso-Persas, com edição prevista para o próximo ano.

Miguel Castelo Branco

publicado por João Távora em Real Associação de Lisboa

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

POUSADAS DE PORTUGAL COM SELO DA CASA REAL PORTUGUESA

O Grupo Pestana e a Fundação D. Manuel II assinaram esta sexta-feira, 11 de Julho, um protocolo que confere às Pousadas de Portugal o selo da Casa Real Portuguesa.

S.A.R., Dom Duarte, Duque de Bragança, na sua intervenção que antecedeu a assinatura pública do protocolo, enalteceu o papel que o Grupo Pestana tem tido no País e apelou a que todas as entidades e portugueses façam o que possam para preservar o património nacional. Algo em que a hotelaria pode ter um grande peso, sublinhou.
Por sua vez, José Castelão Costa, responsável pelas Pousadas de Portugal, manifestou o “contentamento pelo acordo histórico que coloca no papel uma relação de longa data” e o “orgulho” por as unidades passarem a ostentar o selo da Casa Real Portuguesa. Algo que “dá-nos uma motivação crescente para continuar o trabalho de recuperação e preservação do património nacional e de hospitalidade e serviço de excelência, características das Pousadas de Portugal.”
“As Pousadas de Portugal são verdadeiras embaixadas do País e de cada região e, como tal, são cartões de visita muito importantes. São pouco os países do mundo que se podem orgulhar de ter uma rede de hotéis históricos, acessíveis a todos e com um património que se confunde com a própria história do País”, salientou.
Em comunicado, Dionísio Pestana, presidente do Grupo, considerou: “Este atestado de qualidade por parte da Casa Real Portuguesa é muito importante para nós. Não só é o reconhecimento público daquilo que encerramos como benefício, como significa que, ao longo dos anos, soubemos preservar a história e as histórias que aí permanecem nas Pousadas de Portugal são uma herança que é de todos os portugueses e que temos procurado conservar como património colectivo, o mais fiel possível às suas origens. Fazemo-lo da melhor maneira que sabemos, oferecendo unidades hoteleiras de excelência, com serviços de qualidade, proporcionando experiências únicas e exclusivas, num sector cada vez mais competitivo.”


Aos jornalistas, Dionísio Pestana referiu que a promoção das Pousadas de Portugal com a recomendação oficial da Casa Real Portuguesa vai ser desde já feita, indicando que o valor monetário envolvido na parceria com a Fundação D. Manuel II é “confidencial.”

quinta-feira, 17 de Julho de 2014

COMEMORAÇÕES DA BATALHA DE OURIQUE

Programa


Nas margens do Tejo, os exércitos cristãos e muçulmanos vão-se confrontar no dia 25 de Julho de 1139 (era cristã) / 23 Cha`Ban de 553 (era muçulmana) numa batalha que iria mudar a história – após a vitória cristã, o seu comandante, D.Afonso Henriques será proclamado Rei de Portugal!
Dia 18 – Sexta-feira
20:00h – Concentração Mercadores, Convidados e Figurantes no Largo do Gil
20:30h – Início desfile até ao Terreiro do Mercado
21:00h – Cerimónia de abertura do terreiro e da exposição dos trabalhos das escolas do Concelho sobre a Batalha de Ourique
22:00h – Actuação do Grupo de Danças Medievais “Chãns d’Ourik” de Vila Chã de Ourique
23:00h – 1ª Eliminatória do Torneio da Pedra Medieval
24:00h – Actuação do Grupo de Danças Orientais e Malabares
01;30h – Encerramento do Terreiro
Dia 19 – Sábado
14:30h – Abertura do Terreiro
16:00h – / Mostra de Armas
18:00h – 2ª Eliminatória do Torneio da Pedra Medieval
21:00h - Demonstração de Falcoaria
22:00h – Actuação do Grupo de Danças Medievais “Chãns d’Ourik”
23:00h – Recriação histórica da Batalha de Ourique
24:00h - Celebração da Vitória
01:30h – Encerramento do terreiro
Dia 20 – Domingo11:30h Celebração de Missa Dominical
14:30h – Abertura do Terreiro
16:30h - Final do Torneio da Pedra Medieval
18:00h – Entrega de Troféus aos vencedores do torneio
19:30h - Demonstração de Falcoaria
20:00h - Torneio a cavalo
21:30h – Mostra de Armas e Demonstração Equestre em Honra de D. Afonso Henriques
22:30h – Desfile e Cerimónia de Coroação do Rei e entrega de prémios do Torneio
23:00h - Actuação do Grupo de Danças Medievais “Chãns d’Ourik”
24:00h – Encerramento do Terreiro
Diariamente: Música medieval, Jogos, Malabaristas, Cuspidores de Fogo, Mercadores, Rábulas Teatrais e Demonstrações de Falcoaria
Mais informações em: batalhadeourique.com

terça-feira, 15 de Julho de 2014

INVESTIDURA DA REAL ORDEM DE SANTA ISABEL PRESIDIDA POR S.A.R. A DUQUESA DE BRAGANÇA

Investidura da Real Ordem de Santa Isabel, cerimonia presidida pela Grã-Mestra Sua Alteza Real a Duquesa de Bragança em Coimbra, em frente ao túmulo de Santa Isabel de Portugal.

segunda-feira, 14 de Julho de 2014

S.A.R., O PRÍNCIPE DA BEIRA INVESTIDO NA ORDEM CONSTATINIANADA DE SÃO JORGE

S.A.R., o Príncipe da Beira foi recentemente investido na Ordem Constantiniana de São Jorge pelo respectivo Grão-Mestre, S.AR. o Príncipe D.Carlos de Bourbon-Duas Sicílias, Duque de Castro.
Facebook

quinta-feira, 10 de Julho de 2014

COMEMORAÇÃO DOS 350 ANOS DA BATALHA DE CASTELO RODRIGO NA GUERRA DA RESTAURAÇÃO



Colóquio “A Batalha de Castelo Rodrigo na Guerra da Restauração de Portugal - Comemoração dos 350 anos”

11 de Julho pelas 15 Horas
no Salão Nobre do
Palácio da Independência

Sessão de abertura: Presidente da Sociedade Histórica da Independência de Portugal e Presidente da Comissão Portuguesa de História Militar.

3º Painel: “Superioridade estratégica e tática dos portugueses na Batalha de Castelo Rodrigo”, pelo Prof. Dr. Adriano Vasco Rodrigues; “A Batalha de Castelo Rodrigo no contexto das fases militares da Restauração”, pelo Prof. Doutor Fernando Larcher

4º Painel: “Nação portuguesa e Restauração”, pelo Cor. Américo Fernandes Henriques; “Duarte d’Armas e a memória dos castelos da Raia”, pela Prof.ª Doutora Maria Helena Carvalho dos Santos

Uma iniciativa da Sociedade de Geografia de Lisboa, da Sociedade Histórica da Independência de Portugal, da Comissão Portuguesa de História Militar e do Instituto Histórico. 

Entrada livre

quarta-feira, 9 de Julho de 2014

S.A.R. DOM DUARTE VISITOU FÁTIMA ACOMPANHANDO A FAMÍLIA DO PRÍNCIPE CARLOS DE BOURBON - DUAS SICÍLIAS

S.A.R., Dom Duarte de Bragança, o Príncipe Charles de Bourbon, Duque de Castro, a princesa Camilla, duquesa de Castro, princesas Maria Carolina, duquesa de Palermo e Maria Clara, Duquesa de Capri, visitaram o Santuário de Fátima.

O príncipe Carlos de Bourbon - Duas Sicílias e sua Família sempre dedicaram especial atenção a áreas populares dos mais desfavorecidos, como um sinal de solidariedade cristã fundamental para a Família Real e sua Ordem de Cavalaria, a Sagrada Ordem Militar Constantiniana de São Jorge.
 

S.A.R. DOM DUARTE PIO DE BRAGANÇA ENTREVISTADO PELA ANTENA 1

Entrevista a Dom Duarte Pio de Bragança
A propósito da visita dos novos Reis de Espanha a Portugal, o jornalista Nuno Rodrigues entrevistou o legítimo herdeiro do trono de Portugal e Chefe da Casa Real Portuguesa, poucas horas antes de S.A.R. Dom Duarte de Bragança comparecer no almoço realizado no Palácio de Queluz em honra de SS. MM. os Reis de Espanha.

Para ouvir a entrevista CLIQUE AQUI