domingo, 23 de abril de 2017

LIVRO: O MENSAGEIRO DO REI


Contra capa


Sinopse
D. Manuel II foi o nosso último rei. Tinha dezoito anos, quando mataram seu pai, D. Carlos, e o príncipe real Luís Filipe, em 1908. De súbito, caía sobre a cabeça do jovem a obrigação de reinar um país onde os monárquicos não se entendiam, decadentes, caciques traiçoeiros e republicanos que recorriam a todos os métodos, da grande oratória á intriga mesquinha, para que a República deixasse de ser um sonho. Reinou trinta meses. Teve seis governos e a obrigação de casar com uma princesa. 
Os reis europeus recusaram-lhe filhas e netas, antevendo a queda da realeza, e á falta de princesa, apaixonou-se por uma deusa francesa: Gaby Deslys. Linda! O amor entre os dois foi o único legado coerente do seu reinado. Rigoberto era o mensageiro que lhe levava notícias do amor distante. Também ele apaixonado por Gardénia. 
É a história de amizade entre o rei e o mensageiro, assim como as histórias dos amores de ambos, que vos narro neste livro. Até que o amor os separou, a Monarquia caiu e a República nasceu para viver durante 16 anos, com 45 governos, duas ditaduras pelo meio, e oito presidentes da República.





sábado, 22 de abril de 2017

JANTAR DE GALA DOS 75 ANOS DAS POUSADAS DE PORTUGAL COM A PRESENÇA DES.A.R., DONA ISABEL DE BRAGANÇA

A 19 de abril de 1942 foi inaugurada a primeira Pousada de Portugal, marcando o nascimento de uma marca relevante para o panorama turístico e cultural nacional. Após 75 anos, o percurso das Pousadas de Portugal foi celebrado num Jantar de Gala na Sala do Trono do Palácio Nacional de Queluz, reunindo mais de uma centena de convidados
Fonte:.publituris.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

MADEIRA FILM FESTIVAL 2017


SS.AA.RR., Os Duques de Bragança com João Paredes e Ana Isabel Dantas
A abertura oficial da 6.ª edição do Madeira Film Festival decorreu na passada terça-feira dia, 18 de Abril, pelas 19 horas, no hotel Belmond Reid´s Palace. Marcaram presença o duque de Bragança, patrono do festival, o conselheiro cultural da Embaixada da China, Shi Juanping, no âmbito da parceria do MFF com o festival internacional de cinema de Xangai, a actriz Adrienne Wilkinson, das séries ‘Star Trek’ e ‘Star Wars’, realizadores e produtores que se deslocaram à Madeira para esta edição do festival e, ainda, algumas das misses do ‘Miss Queen Portugal’.
‘Eagle Huntress’ do realizador Otto Bell, foi o filme de abertura, exibido no Teatro Municipal Baltazar Dias.


quarta-feira, 19 de abril de 2017

6.500 ASSINAM PETIÇÃO



Ultrapassa já as 6.500 mil assinaturas a petição lançada a meados de Março, que propõe alterações à ‘Lei das Precedências do Protocolo do Estado Português’ por causa do relacionamento protocolar devido ao Duque de Bragança.
Porque o Duque de Bragança, D. Duarte Pio, enquanto descendente e representante dos Reis de Portugal, é regularmente convidado a participar em eventos oficiais, sendo-lhe habitualmente conferido um tratamento de particular respeito, apesar de isso não estar previsto no protocolo do Estado, eis a razão da petição que propõe a inclusão do Duque de Bragança na Lei do Protocolo do Estado, a exemplo do que já acontece com as altas entidades estrangeiras, diplomáticas, religiosas, universitárias e parceiros sociais.
De acordo com o texto associado à petição ‘monárquica’, o relacionamento protocolar devido ao Duque de Bragança deverá ser especificado na Lei das Precedências do Protocolo do Estado Português, acrescentando um novo Artigo 34º: “1 - O chefe da Casa de Bragança, quando convidado para cerimónias oficiais, deverá ser tratado como convidado especial da entidade que tiver, por virtude da mais alta precedência protocolar, a presidência. 2 – Ao cônjuge do chefe da Casa de Bragança é atribuído lugar equiparado ao mesmo, quando esteja a acompanhá-lo.”
Na Madeira, o monárquico arquitecto João Cunha Paredes tem divulgado a petição, na expectativa da mesma reunir um maior apoio.
Entre as personalidades que apoiam esta petição, sobressaem deputados (do CDS e do PSD), presidentes de Câmara, ex-governantes e professores universitários. O.D.
Fonte: dnoticias.pt

terça-feira, 18 de abril de 2017

PIDEN QUE EL PRETENDIENTE AL TRONO DE PORTUGAL SEA INCLUIDO EL PROTOCOLO DE ESTADO

Los impulsores de la propuesta quieren que el duque Duarte de Braganza tenga un tratamiento especial en la ley, como otras autoridades diplomáticas, religiosas, académicas...


Duarte de Braganza es uno de los pretendientes al trono de Portugal. Como jefe de la casa real de Braganza es invitado a algunos actos oficiales, pero su presencia no está regulada legalmente, y eso es lo que quiere cambiar un grupo de ciudadanos que ha lanzado una petición para cambiar la Ley de Protocolo.
14/03/2017

Duarte Pío de Braganza y su esposa estuvieron entre los cientos de invitados que asistieron en pasado mes de noviembre a la cena de gala que el presidente de la República de Portugal, ofreció en el pazo de Guimaraes en honor a los reyes de España que estaban de visita de Estado.
Es un ejemplo de los actos oficiales, más o menos solemnes, a los que acude el duque de Braganza, que pese a ser pretendiente al trono desaparecido de Portugal, mantiene buenas relaciones con las autoridades de la república.
El problema que un grupo de simpatizantes y partidarios de Dom Duarte Pío de Braganza ve es que el protocolo no contempla al duque: no tiene ninguna consideración especial, al menos en lo que se refiere a las normas que regulan el protocolo, aunque en la práctica a veces sí se le da.
De ahí que hayan lanzado una campaña en Petição Pública, una plataforma de recogida de firmas similar a Change.org. Su petición, que elevarán al gobierno portugués, es que se modifique la Ley de Protocolo para incluir al jefe de la Casa de Braganza.
De esta forma, quieren que se le tenga en consideración en esta norma, como se hace con autoridades como representantes extranjeros, diplomáticos, líderes religiosos, académicos y agentes sociales. Su idea es que se mencione específicamente al “jefe de la Casa de Braganza” y a su cónyuge, para que así tenga un lugar en el protocolo de los actos oficiales a los que asista Duarte Pío de Braganza.

domingo, 16 de abril de 2017

RESSUREIÇÃO DO SALVADOR - PÁSCOA


Há dois mil anos Jesus, filho de Deus, caminhou pela Terra entre os mortais espalhando sua mensagem de amor e paz. Seu objetivo era claro, criar um mundo melhor e salvar nossas almas; mas nem todos compreenderam.



Em consequência da ignorância de alguns, Jesus foi crucificado e morreu, mas ao terceiro dia seu corpo retomou a vida e Ele se levantou. Jesus ressuscitou e com Ele a esperança, o amor e tudo que existe de bom neste mundo.

A Páscoa é a celebração do sacrifício de um homem justo e bom que morreu por nós, por nossos pecados, e da sua ressurreição. A Páscoa é a festa do amor e triunfo de Cristo, nosso Salvador. 

sábado, 15 de abril de 2017

SÁBADO SANTO OU SÁBADO DE ALELUIA

Sábado de Aleluia é o Sábado da Semana Santa, o primeiro dia depois da crucificação e morte de Jesus Cristo e o dia anterior ao Domingo de Páscoa.
O Sábado de Aleluia ou Sábado Santo é uma data móvel, podendo cair entre os dias 21 de março e 24 de abril.
Durante o Sábado Santo é celebrada aVigília Pascal, ocasião em que os fiéis cristãos se reúnem em constantes orações durante toda a madrugada que antecede o Domingo de Páscoa.
O significado da Vigília Pascal está relacionado com a preparação para a ressurreição de Jesus Cristo que, segundo a bíblia, aconteceu três dias após a sua morte.
No Sábado de Aleluia também é o dia em que se acende o Círio Pascal, uma grande vela que simboliza a Luz de Cristo, que ilumina o mundo.
Na vela, estão gravadas as letras gregas Alfa e Ômega, que querem dizer"Deus é o princípio e o fim de tudo”

quinta-feira, 13 de abril de 2017

QUINTA-FEIRA SANTA



Quinta-feira Santa é o nome dado ao dia em que Jesus celebrou a Páscoa judaica com Seus discípulos, esse evento também é conhecido como a Última Ceia. Dois eventos importantes são o foco da Quinta-Feira Santa.
 Em segundo lugar, Jesus lavou os pés dos discípulos como um acto de humildade e serviço, criando assim um exemplo de que devemos amar e servir um ao outro em humildade (João 13:3-17). Algumas igrejas Cristãs realizam uma cerimônia de lavagem de pés na Quinta-Feira Santa para comemorar Jesus lavando os pés dos Seus discípulos.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

ANTIGOS ALUNOS DO COLÉGIO MILITAR



Comemorações do 3 Março no Real Clube Tauromáquico Português

No passado dia 6 Abril 2017, os sócios do Real Clube Tauromáquico Português, Antigos Alunos do Colégio Militar, reuniram-se num almoço na sede deste clube em Lisboa, para comemorar o 3 Março.

O almoço foi presidido pelo Antigo Aluno Duarte Pio de Bragança - 97/1960.

As fotos foram gentilmente cedidos pelo Filipe Soares Franco - 62/1963.

A reunião, decorreu em ambiente de muita animação e camaradagem e foi encerrada com o habitual zacatraz colegial.

Presenças:
Atrás, de pé, da esquerda para a direita: João de Barahona Núncio (175/1945), Rui Carp (536/1960), José Luís Bessa (73/1955), António Sobral (112/1950), Duarte Pio de Bragança (97/1960), Filipe Soares Franco (62/1963), Manuel de Lucena (405/1953), Pedro Cudell (3/1961) e Eurico Paes (306/1957).

Em posição de “firmeza”, à frente, da esquerda para a direita: Isaías Gomes Teixeira (197/1977), José António Corrêa d
e Sá (228/1959) e Miguel Félix António (302/1972




segunda-feira, 10 de abril de 2017

O EX-MINISTRO QUER DUQUE DE BRAGANÇA NO PROTOCOLO DE ESTADO


O ex-ministro da Solidariedade e Segurança Social de Pedro Passos Coelho (e actual deputado centrista) Pedro Mota Soares é uma das figuras públicas que assina uma petição pública electrónica, que pretende incluir o duque de Bragança no protocolo de Estado, devido à alteração da legislação de 2006. 


Além de Mota Soares, assinam a petição o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, o conselheiro de Estado Lobo Xavier e muitas outras figuras, actuais e antigas, do CDS - como Diogo Feio, Nuno Melo e Telmo Correia.

Entre os subscritores da petição - que conta já com mais de seis mil assinaturas - estão ainda Miguel Esteves Cardoso, o cronista e historiador Henrique Raposo, o crítico de televisão Eduardo Cintra Torres, o cozinheiro Hélio Loureiro, o politólogo Adelino Maltez, o escritor Rui Zink, o historiador Jaime Nogueira Torres e os empresários Paulo Azevedo e Paulo Teixeira Pinto.


"A lei atual é de 2006 e, quando foi discutida, esta questão já se colocou e acabou por ser aprovada uma versão em que foi completamente excluída. Passados 10 anos, houve instituições e pessoas que acharam por bem levantar o assunto porque há algumas dificuldades protocolares quando d. Duarte Pio, que é convidado regularmente para eventos, no seu enquadramento", disse à Lusa um dos promotores da petição "Inclusão do Duque de Bragança na Lei do Protocolo do Estado", Tomás Moreira.


O dirigente da associação monárquica Causa Real, empresário de 59 anos, garantiu que o objetivo é o assunto vir a ser debatido na Assembleia da República. 

As petições, uma vez admitidas em São Bento em sede de comissão parlamentar, são entregues a um deputado para tomar as diligências consideradas adequadas. Se tiver mais de 1.000 assinaturas, os autores têm de ser ouvidos pelo parlamento. Ultrapassadas as 4.000, o assunto tem mesmo de ser levado a plenário.

"Enquanto chefe da Casa de Bragança, [Duarte Pio] tem sido convidado a participar em eventos oficiais, importantes momentos da vida do Estado, especialmente quando envolvem a participação de membros da realeza mundial, em cerimónias de celebração histórica ou cultural, no estrangeiro, como representante da comunidade portuguesa, em eventos de natureza cultural, humanitária ou religiosa", justifica-se no texto.

A petição defende tratar-se do "reconhecimento pelo Estado português de que o chefe da Casa de Bragança é, mesmo no regime republicano vigente, o legítimo sucessor dos reis de Portugal" e que "a maturidade do regime republicano deveria permitir a formalização deste relacionamento, passando a incluir o tratamento devido ao duque de Bragança na Lei das Precedências do Protocolo do Estado Português'", como "já acontece com as altas entidades estrangeiras e internacionais, diplomáticas, religiosas, universitárias e os parceiros sociais".

Também Carmona Rodrigues - antigo autarca e actual mandatário da candidatura da líder do CDS, Assunção Cristas, à Câmara Municipal de Lisboa - assina a petição.
SABADO - 10-04-2017

domingo, 9 de abril de 2017

HOJE É DOMINGO DE RAMOS

Um Rei entra na cidade montado Num jumento. 
Domingo de Ramos - Entrada de Jesus em Jerusalém

 Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor.
Neste domingo, dia 9 de Abril, a Igreja celebra o Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor e, a abertura solene da Semana Santa. 
A liturgia do Domingo de Ramos nos faz reviver dois momentos marcantes da vida terrena de Jesus, segundo o Evangelho de São Lucas. 
Primeiro a sua entrada messiânica em Jerusalém, montado em um jumentinho e aclamado pela multidão de discípulos. 
Depois, a narrativa da Paixão, desde a Instituição da Eucaristia até o Seu sepultamento

MAIS DE 6.000 PESSOAS ASSINARAM PETIÇÃO PARA INCLUIR DUQUE DE BRAGANÇA NO PROTOCOLO DE ESTADO



Mais de seis mil cidadãos já assinaram a petição pública eletrónica a solicitar a inclusão do duque de Bragança no protocolo de Estado, através da alteração à legislação de 2006.:
A petição, online desde 12 de março e que conta atualmente com mais de 6.200 assinaturas, tem entre os peticionários o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, o conselheiro de Estado Lobo Xavier, e muitas outras figuras de CDS-PP e PSD, mas também o politólogo Adelino Maltez ou o escritor Rui Zink, além do historiador Jaime Nogueira Pinto e dos empresários Paulo Azevedo e Paulo Teixeira Pinto.
“A lei atual é de 2006 e, quando foi discutida, esta questão já se colocou e acabou por ser aprovada uma versão em que foi completamente excluída. Passados 10 anos, houve instituições e pessoas que acharam por bem levantar o assunto porque há algumas dificuldades protocolares quando d. Duarte Pio, que é convidado regularmente para eventos, no seu enquadramento”, disse à Lusa um dos promotores da petição “Inclusão do Duque de Bragança na Lei do Protocolo do Estado”, Tomás Moreira.
O dirigente da associação monárquica Causa Real, empresário de 59 anos, garantiu que o objetivo é o assunto vir a ser debatido na Assembleia da República.
As petições, uma vez admitidas em São Bento em sede de comissão parlamentar, são entregues a um deputado para tomar as diligências consideradas adequadas. Se tiver mais de 1.000 assinaturas, os autores têm de ser ouvidos pelo parlamento. Ultrapassadas as 4.000, o assunto tem mesmo de ser levado a plenário.
“Enquanto chefe da Casa de Bragança, [Duarte Pio] tem sido convidado a participar em eventos oficiais, importantes momentos da vida do Estado, especialmente quando envolvem a participação de membros da realeza mundial, em cerimónias de celebração histórica ou cultural, no estrangeiro, como representante da comunidade portuguesa, em eventos de natureza cultural, humanitária ou religiosa”, justifica-se no texto.
A petição defende tratar-se do “reconhecimento pelo Estado português de que o chefe da Casa de Bragança é, mesmo no regime republicano vigente, o legítimo sucessor dos reis de Portugal” e que “a maturidade do regime republicano deveria permitir a formalização deste relacionamento, passando a incluir o tratamento devido ao duque de Bragança na Lei das Precedências do Protocolo do Estado Português’”, como “já acontece com as altas entidades estrangeiras e internacionais, diplomáticas, religiosas, universitárias e os parceiros sociais”.
Outro antigo autarca, Carmona Rodrigues, atuais e antigos deputados e dirigentes democratas-cristãos como Diogo Feio, Nuno Melo, Telmo Correia, Mota Soares, mas também os jornalistas e escritores Miguel Esteves Cardoso, Eduardo Cintra Torres e Henrique Raposo, bem como o cozinheiro.