domingo, 23 de agosto de 2009

UNIÃO IBÉRICA, UMA IDEIA QUE TEM FEITO O SEU CAMINHO...

(Clique na imagem para ampliar)

S.A.R., Dom Duarte enviou-me via email este artigo à 01:30 de hoje e dizia: "A campanha pela "União Ibérica" continua descaradamente... Valha-nos S. Nuno!

Portugal na imprensa suiça.

---------------

Agradeço o favor de divulgarem nos vossos sites e blogues.

6 comentários:

Presépio no Canal disse...

O terreno para essa situação já vem sendo semeado há muito.
Eu concluí o Secundário em 1988. Na época, na Área de Humanidades do Secundário, estudava-se exclusivamente História de Portugal. Ainda guardo os livros. Sempre achei estranho que tivessem retirado a disciplina e substituído por História Universal. Esta já era estudada 8e assim continuou) nos 7º, 8º e 9º anos.
No meu entender, é preciso exigir que a História de Portugal seja uma disciplina obrigatória, e sem pendor ideológico, para todas as áreas no Ensino Secundário(10º,11º,12º anos).
É importante também reforçar o programa de Língua Portuguesa (ao que julgo saber, certos autores foram desaparecendo dos programas...).
Que o Inglês seja obrigatório, compreendo, mas a segunda língua deve ser opcional. Já assim era na na minha época.
Parece-me que poderá ser interessante abordar esta questão já no início do ano escolar...

Maria Augusta, este artigo saíu em que jornal e em que data?

Um Beijinho e Boa Semana.

Sandra

J disse...

Caros Leitores,

Se me permitem, aqui deixo esta minha singela opinião: entendo que o governo português tudo tem feito para que a "união ibérica" aconteça... mas de uma forma "encapotada". Assim se explica porque o governo português vê com bons olhos que os seus nacionais nasçam em Espanha.... assim se explica porque o governo português assina acordos para que os seus nacionais sejam tratados nos centros de saúde espanhóis, etc., etc.
No que me diz respeito, aqui fica a minha posição: união ibérica? Não, obrigado...
E entendo que, apesar de todas as sondagens e inquéritos que são realizados para que os povos se comecem a habituar à ideia, esta minha posição será a posição da maioria dos portugueses.
Feliz deste país que mantém uma reserva inabalável de esperança: A Excelsa Família Real Portuguesa.

Viva a Família Real!
Viva Portugal!

Rogério "Loreira" disse...

Uma ideia totamente disparatada! Portugal é um só, um país com séculos de história, que tanto lutou pela sua independência, e que tantos bravos portugueses sucumbiram por esta causa...O nosso primeiro Rei deve andar às voltas no seu túmulo, por saber que ainda existem pessoas com esta ideia totamente disparatada,que tanto lhe custou a conquistar: a independência!
Bem haja Sua Alteza Real o Senhor D. Duarte de Bragança, o nosso Rei!
Respeitosos cumprimentos...

Nuno Castelo-Branco disse...

Tretas... tretas "sondágicas" para português convencer. eles que se atrevam a propor uma coisa destas à população e teremos uma "jacquerie" em plena Lisboa. Lembram-se do Scolari? Se por causa do futebol foi o que foi, imaginemos então a hipótese do desaparecimento do país...!

Amanhã publicarei no ES, com um comentário mais aturado, ok?

Maria Menezes disse...

Por enquanto não sei qual o jornal mas também saíu no Le Temps datado de 3 de Agosto, portanto é recente.

http://www.letemps.ch/Page/Uuid/2929487a-7fa4-11de-98cb-9d386dcf3f88

Um beijinho!

Mário Guinapo disse...

A mim não me surpreende que finalmente fora de fronteiras se começe a dar atenção a um fenómeno que já ha largas dezenas de anos se vêm cimentando e arrepiando caminho no seio da classe política deste País.A promiscuidade entre empresas Espanholas e politicos e ex politicos nacionais é evidente,o deixar e até promover a desertificação do interior de Portugal,para que a influencia dos nossos vizinhos melhor se instale é prática corrente,como diz J,querem á viva força que se nasça do lado de lá da fronteira,e do mesmo modo se procure cuidados médicos,sem esquecer a inércia que existe em relação á diferença de tratamento com que as empresas Portuguesas são tratadas do lado de lá,e de como as de lá são encorajadas a instalarem-se cá.
O "desaportuguesamento" de Portugal está em marcha perante os nossos olhos,e poucos são os que o veem,e muitissimos aqueles que o não querem ver,ou fingem não ver na esperança que alguma migalha lhes entre na bolsa.