domingo, 30 de agosto de 2009

O ESTADO DE ABANDONO DUMA LINHA CENTENÁRIA
video

Este vídeo mostra-nos como Portugal está a ser abandonado pelos governantes "marimbistas" deste país e demonstram bem o desprezo que têm pelo nosso património. A linha do Tua foi inaugurada por Suas Majestades, O Rei Dom Luiz I e Rainha Dona Maria Pia em 29 de Setembro de 1887. A jornalista que apresentou esta reportagem deveria ter começado por contar a história da Linha do Tua, cujo projecto começou em 1878. Mas claro, história é passado, porque pertenceu à Monarquia! O que interessa é mostrar a podridão e o desmaselo de Portugal.
Uma Linha sem futuro provavelmente. Nem sequer há respeito pelo trabalho árduo dos nossos antepassados que foram capazes de sonhar e realizar uma obra daquelas! Uma das linhas ferroviárias mais lindas do Mundo!1º TROÇO - FOZ-TUA-MIRANDELA
Ano de 1878
Foram apresentados dois projectos para a construção de uma linha que ligasse Mirandela e Bragança com o caminho de ferro do Douro:
- Um apresentado pelo engenheiro militar João José Pereira Dias e pelo condutor Bernabé Roxo, sob a direcção do engenheiro Sousa Brandão, pela margem direita do Rio Tua;
- Outro da autoria do engenheiro António Xavier de Almeida Pinheiro, pela margem esquerda do Rio Tua.
22 de Junho de 1882
A Câmara Municipal de Mirandela deliberou representar à Câmara dos Pares pedindo a aprovação do projecto de lei que concedia a subvenção de 135 contos de réis para garantia do juro de 5% à empresa que viesse a construir a linha férrea Foz-Tua a Mirandela. Várias individualidades importantes do Porto, nomeadamente Clemente Meneres, coadjuvaram os esforços e as petições da câmara.
11 de Janeiro de 1883
A Câmara Municipal de Mirandela representou a El-Rei, pedindo a construção da linha férrea até Mirandela e dirigiu-se à Associação Comercial do Porto solicitando os seus bons ofícios para apoio da pretensão.
Dezembro de 1883
O Governo adjudicou ao Conde da Foz a construção da linha férrea de Foz-Tua a Mirandela. Mais tarde, trespassou o contrato de construção à Companhia Nacional de Caminhos de Ferro, cujos trabalhos foram dirigidos pelo engenheiro Dinis da Mota.

26 de Maio de 1884
Essa adjudicação foi confirmada por um decreto do Governo.
30 de Junho de 1884
Assinatura do contrato definitivo.
16 de Outubro de 1884
Inauguração dos trabalhos em Mirandela.

27 de setembro de 1887
Abertura solene da linha ao público, com 54 kms de distância e várias obras de arte.
29 de Setembro de 1887
Inauguração da linha com a presença de El-Rei Dom Luís, da Rainha D. Maria Pia, de vários ministros e convidados, salientando-se o artista Rafael Bordalo Pinheiro. A companhia construtora ofereceu um lauto jantar com duzentos talheres no barração do cais das mercadorias, pintado por Manini e decorado por Marques da Silva.
Na mesa real tomaram lugar o Visconde das Arcas, governador civil de Bragança, Bispo da Diocese, General Malaquias de Lemos, Presidente da Câmara Municipal de Mirandela e Visconde de Moreira de Rei, etc.
As locomotivas, que tinham os nomes de Vila Real e Mirandela, foram benzidas pelo Bispo de Bragança, que foi acolitado por 20 eclesiásticos.
01 de Outubro de 1887
O Diário do Governo dá conta do acto de inauguração.

De 20 de Julho de 1903 até 12 de Fevereiro de 2007, ler aqui: http://www.cm-mirandela.pt/index.php?oid=646

----------------------

No dia 25 de Abril de 2008, o Instituto da Democracia Portuguesa (IDP) deslocou-se ao alto Douro, com o seu Presidente Honorário, Dom Duarte de Bragança, a Direcção, associados e colaboradores, para realizar uma visita temática cuja preparação logística esteve a cargo do comandante Temes de Oliveira. Esta visita foi o culminar de contactos e trabalhos anteriores, com o objectivo de colaborar com Munícipios da região por forma a identificar pontos fortes e oportunidades e a fim de reduzir as assimetrias regionais e potenciar projectos que sirvam as populações do interior Norte.


Fonte: IDP - http://idp.somosportugueses.com/site/?p=27

3 comentários:

Presépio no Canal disse...

Olá,Maria, Bom Dia :)

Concordo com o seu reparo relativamente à reportagem.
E ainda bem que a passou aqui.
Para que se fique a saber que é viável, a todos os níveis, a recuperação de Linhas como o Tua.
A Barragem vai mesmo para a frente? Não há hipótese de, ainda nesta, ou, na próxima legislatura impedir essa situação?
Ainda afundam (no literal e no figurado) toda a região, logo aquela que é a mais próxima do resto da Europa. Estupidez! Vergonha!
Se a Linha vencer (acho que ainda consigo ter uma réstea de esperança neste País), façam bom marketing nos Países Baixos!
Os neerlandeses são campeões no caravanismo, sobretudo, em regiões de montanha, como os Alpes ou junto ao Canyon du Verdon, no sul de França (quando lá estive, vi tantos holandeses, que julgei que tinha ficado em casa). país plano e com pouco sol busca "parceiro" montanhoso e solarengo, certo?
Sempre que falo com holandeses, sugiro o passeio Régua-Pocinho (entre outras sugestões). Ainda ontem fiz isso. Eles adoram, são receptivos, e já tenho desenhado itinerários. E faço por amizade a Portugal.
Já outros são pagos para o destruir...
Vou dar mais duas sugestões de graça a Portugal ;)
Será possível que alguém faça chegar estas informações?
falar com o Comendador Nabeiro rapidamente. Isto aqui é uma mina de ouro para o café.
Se vamos à esteticista, ao cabeleireiro, aos bancos, ao contabilista, a casa de alguém, aniversários, etc,etc...oferecer um café é obrigatório e recusar é pecado capital...
Falar rapidamente com o Comendador Berardo. Ainda ontem estive a falar com um senhor que me disse que o mercado holandês está a começar a interessar-se por vinhos portugueses.E como gosto muito do moscatel envelhecido em cascos de wisky da Bacalhôa, mencionei logo.
Também falei do Esporão e demos vários nomes de vinhos.
Há aqui uma cadeia de supermercados, a Albert Heijn (faz parte do que é a Holanda), eles têm uma revista mensal...alguém me sabe explicar por vejo artigos dedicados aos espanhóis a torto e a direito e nada a Portugal?? alguém anda a dormir, de certeza... onde estão os nossos enchidos e os nossos queijos (só vejo produtos espanhóis)?
porque não também tirar partido da ligação histórica dos Açores com os Países Baixos?

não se pode comercializar só com a meia-dúzia de lojas portuguesas que temos aqui...o parceiro tem de ser o Albert Heijn (eu não tenho lá interesses, excepto as saudades de um queijo da Serra e dos cafés Delta e o nosso pudim flan), nem imagina o peso que o AH tem aqui... se entrou lá, entrou na Holanda...
também já reparei que há uma agência, a Ark, que tem pacotes turísticos para Portugal com preços muito interessantes...mas o nosso país não é só Albufeira e a Madeira..Tua onde estás? Douro?etc,etc...
alguém anda a dormir...já estou cá há ano e meio, e não vejo alterações em nada...
Desculpe o testamento, Maria.
Beijos e continuação de bom domingo.

Raquel disse...

Parabéns pelo post, sou leitora assídua deste blog, como portuguesa também me dói ver como é tratada a História e o Património, este comentário já aqui feito muito me congratula de ver que uma jovem é sensível ao que é Português.Faço votos para que os jovens de hoje honrem o ser português.

Maria Menezes disse...

Obrigada Raquel por ser seguidora assídua do blogue FRP. Gostei do seu comentário e junte-se a nós no Facebook porque já somos muitos.

http://www.facebook.com/posted.php?id=1713040809&share_id=79031057350&post_id=79031057350&comments=#/profile.php?id=1713040809&ref=name

Não sei o seu email para convidá-la como amiga. Esse link é da minha página mas provavelmente terá que fazer o registo para poder visualizá-la.

Bem haja!



Esse link é da minha página. Tem que fazer primeiro o seu registo