quarta-feira, 12 de agosto de 2009

REGIME: OS MONÁRQUICOS EXISTEM E QUEREM MOSTRAR-SE NOS 100 ANOS DE REPÚBLICA

12.08.2009 - 08h56
Não será através de acções como a que esta semana alguns autores do blogue 31 da Armada desencadearam em Lisboa, mas "não vão faltar surpresas" a propósito das comemorações do Centenário da República no próximo ano, garante Paulo Teixeira Pinto, presidente da Causa Real, federação das reais associações, criada sob a égide de D. Duarte de Bragança.
"2010 vai ser um ano interessante, com um debate político feito numa base em que ainda não foi feito em Portugal", afirma o ex-presidente do Conselho de Administração do Millennium BCP. Haverá uma série de iniciativas, cujo conteúdo só começará a ser divulgado a partir de Outubro, que mostrarão que os monárquicos são muito mais do que "fadistas, toureiros e aristocratas de bigodes retorcidos".
A acção de quatro elementos do blogue 31 da Armada que na madrugada de segunda-feira substituíram a bandeira municipal pela da monarquia na varanda da Câmara Municipal de Lisboa "não foi feita em coordenação com a Causa Real", esclarece Teixeira Pinto, que prefere não fazer juízos sobre a iniciativa.
Não será, no entanto, desse tipo a estratégia da Causa Real - da qual fazem parte personalidades como Miguel Esteves Cardoso, Manuel Ivo Cruz, José Falcão e Cunha, Pedro Ayres de Magalhães, Gonçalo Ribeiro Teles e António Lobo Xavier. "Respeitamos os símbolos oficiais do Estado de direito e não tomaremos posição em acções que visem substituí-los onde estejam legitimamente implantados", diz Teixeira Pinto.
Será, portanto, "nos termos do Estado de direito" que as reais associações reunidas na Causa Real vão aproveitar 2010 para trazer o debate sobre a monarquia para a ordem do dia. "Muita gente em Lisboa não tem noção do que se passa no país real", acredita Teixeira Pinto. "Provavelmente não se imaginava que os monárquicos estavam tão presentes na blogosfera, no Facebook, e que estarão no YouTube". O debate sobre uma eventual mudança de regime será feito "de forma democrática", mas nunca num quadro partidário, explica.
A blogosfera é, de facto, um território onde os monárquicos têm estado particularmente activos, em diversos sites e blogues. No entanto, Rodrigo Moita de Deus, que pertence ao 31 da Armada e foi um dos organizadores da acção na câmara municipal, diz não pertencer a nenhum grupo específico e ser um "monárquico freelancer". O objectivo da acção foi "pôr o país a discutir a monarquia, que não é letra morta", explica Ana Margarida Craveiro, que também faz parte do blogue. "A diferença do 31 da Armada é que recusamos viver no país do respeitinho".
João Távora, ligado à Real Associação de Lisboa, conta que depois da acção do 31 de Armada, o site da associação, criado há apenas uma semana, teve "um pico de inscrições": quatro num dia (a associação tem, segundo Távora, quatro mil sócios). "O próximo ano é extremamente interessante em termos de marketing político para a causa monárquica. É uma grande oportunidade".
Oportunidade que vai ser aproveitada pela Plataforma Monárquica para o Centenário da República (que nasceu na Internet, onde tem um site e um blogue), a que Távora também pertence. Uma das iniciativas da plataforma fora do mundo virtual será, em 2010, organizar uma exposição "sobre as vítimas da República", que procurará fazer o contraponto à grande exposição que a Comissão Nacional para o Centenário da República está a preparar.
A plataforma está também a planear confrontar o Ministério da Educação "com a diferença abissal entre a História real e o que é ensinado às crianças nas escolas". Que a comissão nacional tenha uma série de iniciativas previstas em colaboração com as escolas é, de acordo com Távora, "preocupante".
Preocupados com a escola (...)

Fonte: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1395746

-----------------------

Comentários da foto: Jaime Gama na AR. Sobre a sua cabeça, um quadro do Rei Dom Luiz I. Neste blogue há "censura" porque não misturo republicanice com a Família Real e como sou "alérgica" a tais figuras "carimbadas" parlamentares, foram todos "cortadinhos" e ficou só o quadro do Rei.

2 comentários:

editor69 disse...

E fez muito bem!

Rogério "Loreira" disse...

Vamos lá mostrar o que valemos, quantos somos...todas as acções para restaurar a Monarquia, e, de facto, o ano que se aproxima é propício a este tipo de iniciativas! O blog "31 da Armada" abriu as "hostilidades", agora, temos que lhes seguir o caminho...custou dar o primeiro passo, agora temos que dar o segundo...Bem hajam autores do "31 da Armada"...cá vos esperamos por novas iniciativas...