segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

102º ANIVERSÁRIO DO REGICÍDIO - O DIA MAIS NEGRO DE PORTUGAL!
O Regicídio do dia 1 de Fevereiro de 1908, no qual foram mortos "à bala", S.M., O Rei Dom Carlos e S.A.R., O Princípe Dom Luís Filipe, marcou uma das mais tristes páginas da nossa herança comum e levou ao início de um dos mais negros periodos da nossa já longa História com a imposição duma república assassina! Mataram o nosso Rei! Mataram quase cerca de 900 anos de História e mataram a nossa Nação que até hoje se encontra ao abandono de mãos republicanas criminosas. Honra às vitimas da voragem republicana. Prestemos homenagem a quem a merece e ignorem-se os que os tentaram denegrir.
El-Rei Dom Carlos e o Principe Dom Luis Filipe nunca serão esquecidos. Portugal e a Liberdade muito devem a seus Reis.
O Rei era o símbolo do país e não um mercenário, pago a peso de ouro para comissões de 5 anos. É o que temos agora, presidentes a prazo que teimam em presidir a uma república manchada de sangue, velha, desbotada, mentirosa e corrupta. Esconderam sempre dos portugueses toda a verdade do assassinato bárbaro e sanguinário do Rei e Seu Filho, deixando-nos orfãos e sofredores! Mas o povo ainda não perdeu as esperanças de um dia terem alguém que se posicione acima dos interesses dos grupos financeiros e políticos que actualmente se vão revezando no poder e tentam manter vivo o espírito cultural da Nação.
Portugal nunca irá evoluir enquanto uma república, porque o país além de estar manchado por um crime, nasceu também num berço Monárquico. Foi um Rei que nos deu a nacionalidade e a independência enquanto os republicanos destruiram tudo desenfreadamente e ainda teimam em definir o regicídio como de “legitimidade revolucionária”, mas que na imprensa estrangeira de países civilizados, se chamou de ASSASSÍNIO E ILEGALIDADE!
Que as almas do Rei e Príncipe, descansem em paz! Amen.
O REI MORREU! VIVA O REI!
-------------------------
D. Carlos foi morto de duas formas, por três «criminosos»: o primeiro foi a comunicação social e, consequentemente, pela opinião pública; o segundo e o terceiro, dois desgraçados que, espicaçados pelo oportunismo dos futuros paladinos da república de Outubro, o cravaram de balas julgando matar um monstro criado pelo primeiro facínora. A comunicação social de 1908, como a de hoje, é capaz de levar homens ao patíbulo, sem passar pelo tribunal. Para tal bastam duas ou três palavras bem colocadas; depois é só esperar por quem prima o gatilho. Nuno Resende
-------------------------
RELATOS DO 4º CONDE DE MAFRA, Thomaz de Mello Breyner.
Sábado 1 de Fevereiro de 1908, Lisboa – Paço das Necessidades.
De manhã Hospital. Fui almoçar a casa. Das 2 às 4 consultorio. D’ali fui ao Terreiro do Paço esperar SS.MM. e o Principe Real que vinham de Villa Viçosa. Fallei-lhes quando desembarcaram e logo em seguida safei-me para ir a casa do Saint Rné Taillandier. Ali o Penha e Costa disse-me que tinha havido barulho no Terreiro do Paço. Vim logo para aqui para ver chegar dois landaus com os cadáveres do meu querido Rei e do meu querido Principe !!! Tinham sido assassinados no Terreiro do Paço quando vinham na carruagem por uns monstros que sacaram carabinas debaixo do capote. Bem me diziam!
Noutra carruagem, chegaram as duas Rainhas com o Senhor Infante Dom Manoel que é agora El Rei Dom Manoel II e pelo Infante Dom Affonso que é agora o Principe Real. Que scena e que afflicção! Os dois cadáveres ficaram ao lado um do outro no quarto de cama d’El-Rei. Eu ali fiquei toda a noite. São companheiros de serviço o Marquez-Barão d’Alvito, o Conde e Condessa de Figueiró, o Almirante Guilherme Cappelo, o António Waddington e o Visconde d’Asseca Pae que vinha com o querido Principe. Tempo lindo para contrastar com a minha grande tristeza.
Lisboa, 2 de Fevereiro de 1908
De manhã missas. É enorme o alvoroço na cidade, mas a ordem não foi alterada. As tropas precisãm de ser elogiadas porque teem estado admiráveis de fidelidade. E dizia-se o contrário. O João Franco demitiu-se hoje. Ás 2h p.p. começou o embalsamamento d’El-Rei e do Principe Real. Presentes o Conselheiro Silva Amado por parte do Conselho Medico Legal, e os Medicos da Real Camara, Feijão, Lencastre, Tavares, Ravara, Meirelles, e eu. O Barros da Fonseca não pôde assistir por estar doente. O grande trabalho foi feito pelo grande Rocha do Hospital de S. José. Também assistiu o Ferreira Pharmaceutico da Casa Real. Às 7h interrompemos para jantar. Ás 8h continuamos e seguimos pela noite dentro. Tudo muito dificil por causa dos estragos das balas.
Recomendo visitarem este website:
Memorial do Regicídio : http://www.regicidio.org/

À MEMÓRIA DE PORTUGAL

Vídeo: Monárquicos Nortenhos
Esta é uma pequena homenagem à vida, sim, pois não incluímos qualquer imagem do Regicídio, de dois verdadeiros Príncipes de Portugal, El-Rei Dom Carlos I e o Seu Filho O Príncipe Real Dom Luís Filipe. Desejamos ainda manifestar o desprezo por todos aqueles que começam hoje a comemorar a república, fruto do sangue de muitos inocentes, fruto do sangue da nossa Pátria e fruto do sangue daqueles que sempre amaram este nosso Reino... o Reino de Portugal!

2 comentários:

Loki Dark Matter disse...

102 anos de vergonha nacional.

Monárquicos Nortenhos disse...

Obrigada pela divulgação.

Viva o Rei!