quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

QUE TRISTEZA!!!
Liguei a televisão, acompanhei os serviços noticiosos, mas em nenhum ouvi falar sobre o acontecimento que fez do dia 1 de Dezembro feriado nacional em Portugal! Nada! Do Dia Internacional da Sida, sim, da entrada em vigor do Tratado de Lisboa, sim, mas do que aconteceu no dia 1 de Dezembro de 1640? Nada! Apenas feriado no calendário? Na Internet pesquisei e li "Uma pequena cerimónia na Praça dos Restauradores, em Lisboa, assinalou hoje a Restauração da Independência de Portugal em relação a Espanha, conseguida a 1 de Dezembro de 1640." (Notícia Renascença).
Portugal está mesmo doente e maltratado!!!

10 comentários:

Mário Guinapo disse...

Mas que admiracão é essa?
Não é já bem claro e notório que quem comanda a comunicação social em Portugal é o governo,e quem comanda o governo é a maçonaria.
Os senhores do avental nunca negaram nem esconderam o seu Iberismo,como poderiam permitir que nos noticiarios se falasse numa data que assinala a nossa independencia.
Sem querer acreditar em teorias da conspiração,não posso deixar de me perguntar se terá sido mera coincidencia a cimeira Ibero-Americana coincidir com o 1º de Dezembro,e como consequencia a presença dos Monarcas Espanhois em solo Nacional nesse mesmo dia.

Maria Menezes disse...

Penso que foi prepositadamente...
mas o nosso Rei deu o exemplo de comemorar o 1º de Dezembro de 1640 e este ano estavam muitos deputados no jantar dos Conjurados.

Ruca disse...

Com PNR e PPM não muito obrigado ...
Quem esteve a representar a Familia Real ?

Cumprimentos

Maria Menezes disse...

Caro Rui
Há monárquicos do PPM que são fieis a SAR Dom Duarte, os PNR todos os anos estão lá. No tempo do Santana e Carmona Rodrigues, tanto o PNR como o PPM nunca deixaram de estarem presentes e SAR era convidado e ía para a tribuna. No ano passado SAR não foi porque não se sentiu bem depois da missa, mas foi convidado pela CML e obviamente pela SHIP. A direcção da RAL estava representada.
O João Távora fez um apelo no blogue CR para que todos os monárquicos fossem e levassem bandeiras.
Quero lá saber dos PNR e dos PPM. Que fiquem no lugar deles e ficaríamos no nosso.
Era uma data que tinha que ser comemorada. Mas como não houve mobilização, nesse sentido, ficou assim mesmo...
Além do mais a Família Real não precisa de estar representada mas sim os monárquicos, muitos monárquicos e com bandeiras. Na festa azul e branca a Família Real também não estava representada. Nós é que precisamos com o nosso esforço trabalhar para a Monarquia e para o nosso Rei.

editor69 disse...

Eu estive lá ontem...
mesmo sem bandeira...
fui ver...
SAR D.Duarte estava lá e logo acima e ao lado o "fadista" Nuno...
mais ao lado ainda o Loulé que foi com os filhos depositar um coroa de flores em nome de não sei o quê fundação qualquer coisa...
os pnr tb lá estavam...assim como 2 ou 3 "tiaças" do PPM...daquelas que o Herman José imita e afasta pessoas da Causa...enfim...contei o que vi por alto...aqui...

http://blogaleste.blogspot.com/2009/12/restauracao.html

saudações!

Maria Menezes disse...

Grande Zé, sempre presente. Ainda bem que SAR Dom Duarte estava lá e mais uma razão para termos ido todos.
Quanto ao Loulé no ano passado também estava lá e o fadista este ano resoulveu também ir.
Saudações!

J disse...

Caríssimos,

No ano passado, enviei, por escrito, uma reclamação à RTP pelo facto de se não ter pronunciado sobre a data que se comemora no dia 01 de Dezembro. Como se trata de uma estação televisiva de "serviço público", entendi que a minha reclamação tinha todo o sentido.
Recebi um email a indicar que tinham recebido a minha reclamação... mas uma adequada resposta ao conteúdo da mesma... nem vê-la!

É claro que, um ano depois, já esperava que se voltasse a repetir o mesmo...

Foi a Cimeira, foi o Tratado, foi o Dia Mundial da SIDA... mas, se não fosse isso, a "inteligência instalada" arranjaria muitas outras justificações para se "esquecer" do facto histórico que se comemora no 1º de Dezembro...

Querem que vos diga uma coisa? Nada podem fazer... Nada... porque muitos de nós "celebraram" devidamente a data, reflectiram sobre o país e sobre os factos que tiveram lugar em 1640 e honraram os heróis e os patriotas que, durante tantos anos, deram a vida por um Portugal independente... e enquanto assim continuar, sejamos 100.000 ou apenas 10... nada poderão contra esta memória porque... se transmite, porque... se sente...., porque... se entende!!

Com a amizade e gratidão à D.maria Menezes...

João Guimarães

Anónimo disse...

Alguém leu o Tratado de Lisboa?
Não?
Bem me parecia.
Então leiam. E não se esqueçam de lêr a Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, mas a versão de 2007, com as respectivas Anotações à Carta.
Porque a versão de 2001 não tem as Anotações, e são exactamente as Anotações que fazem toda a diferênça.

Então, depois de lerem tudo, irão perceber que Portugal deixou de existir a 1 de Dezembro de 2009.

Que à revelia dos Portugueses, como aliás dos outros Povos da Europa, foi imposta uma União, que nos retirou a Soberania e nos colocou nas mãos da Máfia Internacional.

A Máfia que assassinou Dom Carlos, e Dom Manuel II, o Presidente Kennedy, Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa, e todos os que aos longo dos Tempos, têm pugnado pela Liberdade e pela Dignidade do Ser Humano.

Neste momento Portugal não existe.
Até poderá Ressurgir, mas o esforço terá de ser Hercúleo, e nao sei se haverá Portugueses suficientes para tanto.

De momento, somos uma pequena república da União, que perdeu a Identidade e a Memória.

Não somos nada, e contudo temos a obrigação de ser Tudo.
Mas como desconhecemos quem somos e de onde viemos, andamos à deriva.

E com um retoque Sádico, a Máfia reinante, anexou-nos formalmente no dia da Independência.
Prendeu-nos com as mesmas Correntes com que amarraram Cristóvão Colombo.
Restauraram a Pena de Morte, para quem se insurgir contra o Regime, e deram-lhe o nosso nome.
O nome de Lisboa, a cidade que foi a Capital do primeiro Reino a abolir a Pena de Morte.

Dificil de acreditar?
Não, não é!
Mas para percebermos o que se passa hoje, será necessário questionar toda a Historiografia Tradicional, e conjugar todas as peças da História, despidas da interpretação com que nos têm sido ensinadas.

Airmid

Nuno Castelo-Branco disse...

Se o "fardista" ou o dançarino de corridinhos algarvios - o ex-duque de Loulé - lá estavam, ninguém os viu. A SIC apenas mostrou o Rei D. Duarte.

Nuno Castelo-Branco disse...

Se o "fardista" ou o dançarino de corridinhos algarvios - o ex-duque de Loulé - lá estavam, ninguém os viu. A SIC apenas mostrou o Rei D. Duarte.