sábado, 19 de setembro de 2009

C.M.L. RETIRA BANDEIRA DA REAL ASSOCIAÇÃO
A Real Associação de Lisboa (RAL) acusa a Câmara Municipal de Lisboa de ter retirado uma bandeira monárquica "hasteada há mais de sessenta anos "por "motivações políticas". A acusação vem do presidente da RAL, João Mattos e Silva, que considera que o executivo de António Costa retirou a bandeira "pela aproximação do centenário da República".
Contactado pelo DN, o gabinete de António Costa, disse que a retirada da bandeira (o que já aconteceu em Janeiro) "não está relacionada com questões políticas, mas sim com o não cumprimento dos regulamentos municipais". Recorde-se que para poder hastear uma bandeira ou colocar uma placa na fachada, é necessário contactar a autarquia.
A bandeira monárquica, junto à sede da Real Associação de Lisboa, no Largo Camões, já ali está há seis décadas, tendo sobrevivido ao Estado Novo, ao 25 de Abril e aos anos que se seguiram de democracia republicana.
O "ultimato" para a retirada da bandeira chegou à sede desta associação monárquica em finais de 2008, onde a CML afirmava que se os símbolos não fossem retirados, como "não estavam de acordo com as posturas municipais", a própria CML o faria. E assim aconteceu.
Esta não foi uma situação isolada que envolveu a Câmara Municipal de Lisboa e a bandeira monárquica. A 10 de Agosto, os Paços do Município amanheceram com a bandeira monárquica hasteada
Nessa altura, um grupo ligado ao blogue 31 da Armada, com alguns membros vestidos de Darth Vader (personagem do Star Wars), hasteou uma bandeira monárquica durante a madrugada, num acto que assumiram com sendo de "guerrilha ideológica".
Para hastear a bandeira monárquica, os bloggers tiveram de retirar a bandeira da capital. No mesmo dia, segundo anunciou em comunicado, a autarquia "tomou medidas no sentido de averiguar as circunstâncias" e "participou caso às autoridades competentes".
João Mattos e Silva viu este episódio como um "acto de humor, para rir e não um caso de polícia como foi transformado pela autarquia". Já este mês, foi hasteada outra bandeira azul e branca no Porto, na praça General Humberto Delgado, onde estão as bandeira da Câmara Municipal.
Jornal Diário de Notícias, 19-09-2009 - http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1366244

Diário de Notícias refere a retirada da bandeira da sede da R.A.L.
O Diário de Notícias de hoje, 19 de Setembro, noticia a ordem de retirada da bandeira da Monarquia da sede da Real Associação de Lisboa, por ordem da Câmara Municipal na presidência do Dr. António Costa. É um episódio que, embora acontecido há quase um ano, só agora veio ao conhecimento público e vem demonstrar o afã dos republicanos em tentar criar um clima de unanimidade em torno das comemorações do centenário da República que se aproximam. Nada de símbolos do regime que tomaram de assalto, à vista das pessoas.
Acontece que a bandeira da Monarquia, primeiro a branca, da Restauração, depois a azul e branca, da Monarquia Cosntitucional, estava naquela mesma janela há mais de sessenta anos, quando as instalações da Praça Luís de Camões eram a sede da Causa Monárquica, durante a II República e nos primeiros anos após o 25 de Abril e, depois, quando em 2000 a Real Associação de Lisboa para ali transferiu a sua sede. Passaram pela Câmara, nesta III República democrática, vereações de esquerda e de direita e nunca ninguém quís saber dos regulamentos municipais que estariam a ser violados, como se de uma empresa ou clube de bairro se tratasse. Foi preciso chegar à Câmara o Dr. António Costa para que os serviços camarários, cheios de zelo - e não creio que tenha partido deles a iniciativa - se lembrassem de "repor a legalidade". Diz o Gabinete do Presidente que não há motivações políticas. Claro, é evidente. Só acredita quem quiser.
Respeitadores das leis, mesmo se da República, retirou-se a bandeira e já se está a tratar da ridícula burocracia para a recolocar e...pagar a licença. Veremos quanto tempo demorará o deferimento.
Publicado por João Mattos e Silva às 18:41

6 comentários:

olga disse...

não se estáva á espera de outra coisa...
muito os socialista têm que agradeçer, por Dom Duarte os tratar bem...

Maria Menezes disse...

Pois, eles estão é com medo...
Como não posso deixar nenhum comentário no seu blogue Pio XII, a foto que colocou do lado direito onde estão os Reis, é da Rainha Dona Maria Pia e não da Rainha Dona Amélia.

Abraço

António Baião Pinto disse...

Cara Maria Menezes,

Foi vingança pura, o sentimento que levou à realização deste acto.
E a inveja e "dor de cotovelo" também estiveram presentes, sim porque a bandeira de Portugal (azul e branca) é sem dúvida muito mais bonita que qualquer outro trapo verde encarndo.

Saudações Monárquicas!

Maria Menezes disse...

Apesar de ser um trapo é uma bandeira terrorista porque é quase igual à da carbnária...

Saudações Monárquicas!

Mário Guinapo disse...

Eles andam com medo,com muito medo que a maioria dos Portugueses um dia vejam a realidade tal como ela é.Tentam a todo custo"apagar" os simbolos mais visiveis do verdadeiro Portugal,como se o nosso País tivesse aparecido como por milagre no dia 5 de Outubro de 1910,pelas mãos de ums revolucionarecos mediocres,hipócritas e invejosos,coadjuvados por um bando de terroristas assassinos.
Não esqueçamos que os socialistas são os herdeiros ideológicos dos re(les)publicanos,e cães de fila da Maçonaria.

Maria Menezes disse...

Claro, que andam com medo e andam todos como nem baratas tontas. Os portugueses já começam a ver a Monarquia como uma alternativa e o que temos que fazer daqui para a frente é mais acções e partirmos para uma campanha. A causa Monárquica hoje é um movimento político e como tal podemo-nos manifestar.
Saudações Monárquicas!