sábado, 12 de abril de 2008

PRÉMIO INFANTE DOM HENRIQUE
O Príncipe Eduardo de Inglaterra inaugurou hoje no Estoril a 6ª Conferência dos países europeus, mediterrânicos e árabes do programa Duque de Edimburgo, valorizando o incentivo da iniciativa à «imaginação e paixão» de jovens de todo o mundo.
Fundado em 1956 e dividido em quatro grandes zonas geográficas, o projecto contou já com a participação de seis milhões de jovens dos 14 aos 25 anos em 118 países (que o adaptam a nível nacional), com os objectivos de complementar a sua formação académica, proporcionar experiência profissional e fomentar a sua consciência cívica.
Do apoio aos mais necessitados às intervenções ambientais, o «Prémio Internacional para Jovens - Prémio Duque de Edimburgo» baseia-se em quatro áreas - serviço à comunidade, desporto, talentos e aventura -, através das quais se descobrem novas competências e se adquirem capacidades de liderança, responsabilidade e maturidade.
«A vida é cheia de mudanças e o Prémio ajuda a conhecê-las. Todos os jovens são diferentes, mas experimentam as mesmas mudanças, as mesmas transições, e todos precisam de um apoio para passar por essa transição», disse o Príncipe Eduardo, presidente do Conselho Internacional do Prémio, após a cerimónia de abertura da conferência.
O herdeiro da Família Real inglesa destacou o facto de não haver barreiras à participação, com excepção da idade, afirmando que o programa permite dar um contributo à comunidade ou melhorar uma competência a partir do zero, segundo a «imaginação e paixão» de cada um. O Príncipe elogiou ainda a dedicação dos jovens e responsáveis envolvidos na versão portuguesa do Prémio Internacional - o Prémio Infante Dom Henrique, promovido por Dom Duarte de Bragança -, que irá distinguir hoje à tarde, na Cidadela de Cascais, com a entrega de medalhas de ouro.
Segundo o presidente da Associação do Prémio português, Miguel Horta e Costa, a iniciativa pretende fomentar valores como a confiança, a amizade, a motivação e o espírito de competitividade e de equipa, motivando os jovens a «colocar-se numa fasquia mais alta».
«Temos também desempregados e estamos a fazer uma aproximação às prisões», adiantou o responsável, informando que o programa envolve anualmente seis mil jovens portugueses.
Presentes na sessão inaugural da conferência da Região EMAS (Europa, Mediterrâneo e Países Árabes) estiveram também o Duque de Bragança, Duarte Pio, o presidente da Câmara de Cascais, António Capucho, e o vice-presidente da autarquia, Carlos Carreiras.
Até sábado, os responsáveis do EMAS vão continuar no Estoril para discutir as experiências dos vários países e projectar novos desafios para os jovens.


Sobre O Prémio Infante Dom Henrique
O Prémio Infante Dom Henrique é a versão portuguesa de “The Duke of Edinburgh’s Award” fundado pelo Duque de Edimburgo, em 1956,na Inglaterra.Com a criação do Prémio Infante Dom Henrique, do qual S.A.R. o
Duque de Bragança além de membro fundador é Presidente de Honra, Portugal tornou-se o primeiro país europeu de língua não inglesa a adoptar o programa de “The International Award for the Young People – The Duke of Edinburgh’s Award”, no qual já participam cerca de seis milhões de jovens em aproximadamente 118 países. Em Portugal, o Prémio teve início no Porto, em 1987, existindo hoje núcleos e delegações implantados de Norte a Sul do país.
Tratando-se de uma Associação e a exemplo do que acontece em outros países onde é praticado, o Prémio Infante Dom Henrique, sendo já uma instituição Particular de Solidariedade Social, é suportado financeiramente por doações de empresas e/ou particulares, bem como com a organização de eventos para angariação de fundos.

Uma iniciativa à escala mundial
O Prémio Infante D. Henrique congrega um intenso programa de actividades voluntárias e não competitivas, que s
e destina a todos os jovens dos 14 aos 25 anos. Sendo um complemento à educação académica, o objectivo do programa é o desenvolvimento pessoal e social, assim como a formação de jovens, através de uma ocupação sadia dos tempos livres. O Programa, que é desenvolvido à escala mundial e estruturado em 4 grandes zonas geográficas já envolveu, até hoje, mais de seis milhões de jovens, em várias vertentes, que vão desde o apoio à comunidade até as intervenções ambientais.
Participando num Serviço à Comunidade e aprendendo a prestar um serviço útil aos outros, os jovens são incentivados a apoiar o próximo; praticando um Desporto, adquirem hábitos desportivos; passando pelos Talentos, descobrem novos talentos em si ou simplesmente adquirem experiência profissional tão necessária nos dias de hoje; até à secção de Aventura, considerada um teste à sobrevivência, realizada em grupo e onde adquirem qualidades de liderança, responsabilidade, maturidade, através dos 3 níveis existentes: bronze, prata e ouro.
Pelos resultados obtidos, a nível Europeu, quer no combate ao insucesso escolar, na obtenção de experiência profissional, quer na preocupação cada vez maior de criar uma consciência cívica nos jovens, o programa destaca-se como o melhor programa internacional neste domínio, tendo actualmente um elevado reconhecimento a nível empresarial.

Vídeo sobre o Prémio Infante Dom Henrique
video

Sem comentários: