terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

HENRIQUE DE PAIVA COUCEIRO: DOCUMENTO DA PROCLAMAÇÃO DA MONARQUIA DO NORTE

SOLDADOS!
Pelo seu valor e qualidades havía a tropa portugueza alcançado nome honroso e digno, affirmando-se, — hoje como hontem, — d' Angola a Moçambique, da Guiné ao Oriente, — herdeira legitima dos descubridores e dos conquistadores do mundo, que foram nossos avós!
E no serviço de cada dia, e n’essas arduas emprezas, atravez de mares longinquos e terras adversas, tinha a bandeira azul e branca sido o guia dos nossos passos, — o alento do nosso corpo, — o impeto das cargas a ferro duro, com que vinhamos accrescentando aos factos anteriores da nossa historia de bravuras, o brilho de novos louros!
Com os olhos fitos n’essa insignia consagrada, jogámos muitos de nós a vida e a saude; sofremos sem queixumes perigos, privações e cansaços; e, dentro dos seus braços amigos, grande numero dos nossos valorosos camaradas temos nós visto baixar á terra, varados por amor ás suas côres.
Para nós, Exercito, era Ella, portanto, não sómente o symbolo venerando da Patria, mas, ainda, a nossa fiel e inseparavel companheira de muitos annos d’esforços, sacrificios e trabalhos, mas, tambem, a nossa folha pessoal do livro de glorias, onde nós proprios, com a nossa alma e o nosso sangue, inscrevemos Marracuéne, e Mufllo, — Dembos e Magul, — Namarraes, Coelela, — e tantas outras aureas legendas da luminosa biographia nacional!Comtudo essa antiga bandeira, que era, ha nove mezes, a de um Exercito com tradições e união, disciplina e conceito por toda a parte do mundo, —prostraramn’a no solo, como se fôra velho trapo sem valia!
E no sólo jaz ainda; e, cahidas sob as suas dobras, tradições e união, disciplina e conceito geral, que eram o nosso timbre, a nossa força, e o nosso maior orgulho!
Levantemol-a, pois, soldados, a nossa velha bandeira, e eia avante! que Ella de cór já conhece o caminho da victoria!
Pela Patria Livre, soldados, eia avante!
Henrique de Paiva Couceiro
Retirado daqui 
Pequena curiosidade: o título duma entrevista de Henrique de Paiva Couceiro ao Diário de Lisboa em 27/11/1921. Facebook - Amigos de Henrique de Paiva Couceiro

3 comentários:

Maria Salgueiro disse...

Bom dia D. Maria
Só é pena é os portugueses não terem hoje diante deles a bandeira azul e branca e terem aquela horrivel vermelha e verde em que a única coisa que tem valor é o centro da bandeira com os castelos e as quinas que nos fazem recordar os 800 anos da nossa querida monarquia.
Resta-nos esperar!

Maria Menezes disse...

Está considerada a bandeira mais feia do mundo. Veio a notícia há uns anos num jornal estrangeiro.
A bandeira republicana é quase igual à da carbonária. Portanto temos uma bandeira terrorista que não nos tem dado sorte.
Uma falta de coerência misturarem os símbolos do tempo da Monarquia. Não concordo nada com isto!!! Mas deve fazer parte da "ética republicana". Ao menos que conservassem as cores de Portugal como a do Brasil que mantiveram as cores do Império. As cores do próprio pais.

Roberto Couceiro disse...

Boa tarde !

Meu nome é Roberto de Cassio Couceiro moro no Brasil e tenho muita vontade de saber maiores detalhes sobre Família Couceiro.
Obrigado.